Tim Berners-Lee: Marco Civil é passo para impedir controle da rede por governos e empresas

Vídeo

O criador da internet, Tim Berners-Lee, falou, nesta quarta-feira (23), durante o Encontro Global Multissetorial sobre o Futuro da Governança da Internet — NET Mundial, em São Paulo, sobre a sanção do Marco Civil da internet pela presidenta Dilma Rousseff. Para Lee, a web é uma mídia poderosa, que tem que ser livre e aberta.

Hélio Fernandes no Observatório da Imprensa

Vídeo

Testemunha das últimas oito décadas da história do Brasil, o jornalista conviveu com a cúpula política do país e com importantes nomes da imprensa, entre eles, o polêmico Carlos Lacerda, de quem comprou o jornal “Tribuna da Imprensa” nos anos 1960.

Combativo e controverso, Hélio Fernandes foi preso nove vezes, desterrado três e sofreu 37 processos. No programa, ele relembrou o início da carreira, ainda nos anos 1930, quando as teclas das máquinas de escrever das redações eram movidas a fumaça de cigarro e uísque.

Hoje, o jornalista converteu sua trincheira em um blog e critica duramente a falta de appeal das redações, que deixaram de funcionar como centros de cultura.

http://www.observatoriodaimprensa.com.br/videos/view/a_d_entrevista_helio_fernandes

Relação entre o Estado e o Desenvolvimento Econômico Americano

Cidadania & Cultura

conquete-de-l-ouest

O esplêndido trabalho de pesquisa de Nicholas Miller Trebat, Departamento de Guerra e Desenvolvimento Americano 1776-1860 Tese de Nicholas Trebat UFRJ, defendida como tese de doutoramento no IE-UFRJ se propõe a reunir as diversas análises existentes sobre a atuação federal no período anterior à Guerra Civil e inseri-los na discussão sobre a relação entre o Estado e o desenvolvimento econômico americano. No tocante à literatura revisionista, é importante salientar que o trabalho não visa contra-argumentar que o governo federal teve impacto mais importante que os governos locais antes de 1860, nem que o poder federal neste período constituiu um “leviatã” afetando todos os setores econômicos de forma contundente. No entanto, busca ilustrar que o impacto econômico de pelo menos uma instituição federal neste período — o Departamento de Guerra — foi substancial.

Exército americano conquista o OestePor que analisar especificamente as Forças Armadas? O leitor notará que quase todos os…

Ver o post original 1.065 mais palavras

A filosofia de Krishnamurti

{RCRISTO - Tecnologia e Informação}

Jiddu Krishnamurti (divulgação).

Tive contato com a filosofia de Krishnamurti há mais de 20 anos, quando ainda buscava um conhecimento mais aprofundado sobre os temas existenciais e o crescimento interior. O foco de sua filosofia é centrado em torno da compreensão integral de si mesmo. O que isso significa? Á primeira vista parece haver certa redundância e até mesmo alguns paradoxos em seus escritos, mas depois de analisar cada frase, ler seus livros, assistir os diversos diálogos do filósofo com outros intelectuais percebi que se trata de uma filosofia simples e ao mesmo tempo profunda, segue um resumo dos principais pontos analisados.

O que é o si mesmo?

É o sujeito que percebe seus próprios pensamentos, ações, desejos e tudo o que estiver relacionado consigo mesmo.

O que é estar fragmentado?

É subdividir-se em diversos eus (construtos interiores, pensamentos com mesma padronização ou categorias) e deixar que cada um deles…

Ver o post original 431 mais palavras

Diálogos com Krishnamurti

{RCRISTO - Tecnologia e Informação}

Quem foi Krishnamurti?

Jiddu Krishnamurti (Madanapalle, 11 de maio de 1895 — Ojai, 17 de fevereiro de 1986) foi um filósofo, escritor, e educador indiano. Proferiu discursos que envolveram temas como revolução psicológica, meditação, conhecimento, liberdade, relações humanas, a natureza da mente, a origem do pensamento e a realização de mudanças positivas na sociedade global.

Constantemente ressaltou a necessidade de uma revolução na psique de cada ser humano e enfatizou que tal revolução não poderia ser levada a cabo por nenhuma entidade externa seja religiosa, política ou social. Uma revolução que só poderia ocorrer através do autoconhecimento; bem como da prática correta da meditação ao ser humano liberto de toda e qualquer forma de autoridade psicológica.

Sobre a vida?

Falamos da vida — e não de ideias, de teorias, de práticas ou de técnicas. Falamos para que olhe esta vida como um todo, que é também a sua vida, para…

Ver o post original 36 mais palavras

A CAÇA, o filme: à “Escola Base” 2

(…) “porque os únicos perigos reais que existem é o próprio homemEle é o grande perigo, e nós somos lamentavelmente desconhecido bem o homem. Não sabemos nada do homem, muito pouco. É devemos tentar estudá-lo, porque somos a origem de todo o mal que vem,…”, Carl Jung.

Caros geonautas,

O filme dinamarquês,”A CAÇA” foi exibido ontem no “40º Festival Sesc Melhores Filmes“, e reexibição para próxima quinta, 10/04 as 17H, é impressionante as fragilidades da inustentável leveda do ser, ou como dirá Nelson Rodrigues, a vida como ela é, eu diria aterrador. A Crítica/Sinopse de Celso Sabadin, que pesquisei agora na rede, já diz tudo no início, ” foi inevitável lembrar do caso da Escola Base, em São Paulo. Para quem não se lembra, a Escola Base foi acusada de abrigar casos de abuso sexual.” Leia a sinopse na integra aqui: “A CAÇA” ENFOCA A IGNORÂNCIA VIOLENTA DAS VERDADES PRÉ-CONCEBIDAS.

Da psicanálise das teorias de Sigmund Freud, que acreditava que o desejo sexual era a energia motivacional primária da vida humana.

As terias da Psicologia do Desenvolvimento Individual – Príncipio do Poder, de Alfred AdlerOs complexos de inferioridade, provocados pelo conflito com o envolvimento social, podem traduzir-se numa dinâmica patológica (psicose, neurose), que deve ser tratada de um ponto de vista psicoterapêutico. Adler também rompeu com Freud. Em seu livro intitulado What Life Should Mean to You, Adler afirma: “É o indivíduo que não está interessado no seu semelhante quem tem as maiores dificuldades na vida e causa os maiores males aos outros. É entre tais indivíduos que se verificam todos os fracassos humanos“.

Aos tipos psicológicos de Carl Jung, que em sua entrevista a BBC em 1959, diz a certa altura, (…) “porque os únicos perigos reais que existem é o próprio homemEle é o grande perigo, e nós somos lamentavelmente desconhecido bem o homem. Não sabemos nada do homem, muito pouco. É devemos tentar estudá-lo, porque somos a origem de todo o mal que vem,..”

E la nave va

A Caça – Trailer legendado: https://www.youtube.com/watch?v=gwxYwb7NbDI