I.Systems, à empresa startup de tecnologia de 1 bilhão de dólares?

Prezados geonautas,

A empresa startup tecnológico, I.Systems, criada pelos baianos, Igor Santiago, Leonardo Freitas, Ronaldo Silva e Danilo Halla, radicados na Unicamp, pode-se dizer, começou com o espírito empreendedor e o  paradigma do rico espírito da culturas nordestina, embora ainda pobre região do nordeste do Brasil: “rapadura é doce, mas não é mole não“, assim como o espírito empreendedor do Silicon Valley, “Pense grande, comece pequeno” (*).

O software Leaf – softwares de automação industrial, foi desenvolvido com lógica Fuzzy, segundo Igor Santiago, “o Leaf representa um avanço de cerca de 100 anos em relação à tecnologia conhecida como processo Proporcional, Integral e Derivativo (PID), criada no fim do século XIX e usada até hoje em quase 100% dos sistemas industriais automatizados.“.

A lógica Fuzzy, solução de ampla aplicação, flexível, estável, não necessita de conhecimento prévio dos fenômenos envolvidos, mas sua utilização tem sido limitada pela complexidade de definição de um grande número de regras empíricas. E leva enorme vantagem em comparação com as outras duas formas de controlar automaticamente um processo industrial: a Modelagem Matemática e Redes Neurais (http://www.is-brasil.com/solucao/).

O grande diferencial é que o Leaf não precisa de histórico de dados dos processos ou algum conhecimento em inteligência artificial. A configuração do controlador com Fuzzy necessita apenas dos valores mínimos, médios e máximos dos sensores (temperatura, pressão e fluxo) e dos atuadores (válvulas, bombas e motores). Essas informações são rapidamente obtidas das próprias operações ou das especificações dos equipamentos, assim, em apenas um dia, é possível configurar um controlador avançado de processos industriais. O Leaf gera automaticamente milhares de regras Fuzzy, criando um controlador multivariável estável.

O primeiro teste na fábrica da cola-cola em Jundiaí, em 2010, reduziram em 31% as perdas por rejeição, nas variações de nível do líquido injetado, e 42% por borbulhamento, que é a formação de bolhas de gás carbônico. O sistema implementado na fábrica possibilitou controlar simultaneamente as válvulas de pressão e de vazão da linha engarrafadora e gerar economia de 500 mil litros de refrigerante e de 100 mil garrafas PET por ano.

É interessante observar também que, na entrevista de Igor Santiago na Brasilagro (vídeo abaixo), a empresa no início encontrou acesso mais fácil para demonstrar e vender o potencial de inovação do software Leaf na industria sucroalcooleira brasileira, normalmente considerada pelo “status quo” do conhecimento convencional, mais conservadora, em comparação com as grandes empresas industriais globais, considerada mais inovadoras.

Segundo Fernando Reinach, “O fundo Pitanga resolveu  investir na I.Systems porque a empresa desenvolveu uma maneira nova de utilizar a lógica fuzzy, num processo de regulação de automação industrial. É uma solução inovadora, que não existe em nenhum lugar do mundo. Há empresas que fazem automação industrial, mas nenhuma tem este tipo de solução. No caso do produto da I.Systems, o mercado potencial é qualquer indústria do mundo.”

A empresa I.Systems, sem concorrente no Brasil, detêm  inovação e ‘know how’  tecnológico para competir no mercado mundial, está preparando os músculos e o fôlego com injeção de capital e em busca de parceiros globais, para competir com as grandes na área industrial, como Siemens e General Electric. “Estamos avaliando se vamos solicitar a patente da nossa tecnologia no Brasil ou no exterior ou se trabalharemos com segredo industrial nos mercados norte-americano, asiático e europeu”, diz Santiago.

O investidor de startup, Vinod Khosla, que está nessa estrada a mais de três décadas, nos anos 80 com a criação da SUN Microsystem enfrentando os Mainframe da IBM, nos anos 90 apostou no protocolo IP quando ninguém apostava. Khosla conta a história que em 1998,  ofereceu por apenas algumas centenas de mil dólares, o software de busca dos jovens Larry e Sergei para uma empresa, mas o possível comprador declinou a oferta, argumentando que os mecanismos de buscas não davam lucro e que já era um mercado de commodities, foi quando Larry e Sergei, que acreditavam no desenvolvimento, decidiram mudar de estratégia, criaram a empresa GOOGLE, e fez história, uma história bilionária.

Os gens empreendedores fundadores da I.System, trás em seu paradigma de nascimento esse espírito, portanto, o céu industrial global é o limite. A empresa chegar a um bilhão de dólares ou mais, é uma questão de estratégia de solução para o mercado e de tempo, os valores inovadores e os ideais dos fundadores, são valores intangíveis, não tem preço.

Entre “O Pirulito da Ciência” de Tom Zé, ao sonho de Miguel Nicolelis, transformar o nordeste do Brasil na “Califórnia brasileira”, como diz o sociólogo, Laymert Garcia dos Santos, para quem tem 30 anos hoje, no Brasil e no mundo, é um desafio e uma oportunidade muito interessante sobre as mudanças que se vislumbram pela frente, vou fingir que não sei bem de que idade ele fala, pois a experiência nos 50, mas energia e espírito na “lyra dos 20”,  estou adicionado outro pensamento, do poeta Samuel Ullman, “Youth is not a time of life – it is a state of mind“, se a canoa não virar vamos chegar lá.

Quem viver verá!

Sds,

(*) “Pense grande, comece pequeno“, o espírito da cultura empreendedora da costa oeste americana, da Califórnia Dreams do Silicon Valley, a influencia da cultura beatnik anti-materialista de esquerda dos anos 50 e 60, que influenciou a literatura, a cultura, a sociedade, e a revolução tecnológica que chega até nós, da “Inteligência Coletiva”.

O espírito empreendedor que suplantou a cultura tradicional da costa leste do nordeste americano, de Yale, Harvard e MTI no último meio século, mas é uma história que começa no século XIX, com  Stanford Univ., ver artigo em inglês que conta essa rica história: GROWTH OF A SILICON EMPIRE / Bay Area’s fertile intellectual ground helped sprout high technology industry, by Henry Norr, Published December 27, 1999.

P.S.: O artigo foi elaborado com pesquisas em: Vídeo anexo/ Website I.Systems/ Artigos anexos da NEI e da FAPESP.

Brasilagro entrevista Igor Santiago da I.Systems:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=r3lJlGxLYVM

– A lógica do mercado_Rev. FAPESP_Set. 2013

http://revistapesquisa.fapesp.br/2013/09/12/a-logica-do-mercado/

– NEI: Ex-alunos da Unicamp recebem apoio de investidores ao criarem software para indústrias

http://www.nei.com.br/artigos/ex+alunos+da+unicamp+recebem+apoio+de+investidores+ao+criarem+software+para+industrias.html

– I.Systems: http://www.is-brasil.com/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s